Revista Espaço

Bate inox no coração de BH

Aplicação do aço inoxidável na revitalização da Praça da Savassi agrega traços de modernidade ao projeto

7

A proposta era integrar elementos como a água e o verde utilizando inox

Com a proposta de integrar o verde e a água, com um toque de modernidade, o projeto de revitalização da Praça Diogo de Vasconcelos, em Belo Horizonte, utilizou aço inoxidável em diversos itens de mobiliário urbano. Popularmente conhecido como Praça da Savassi, o espaço recebeu 20 toneladas do material aplicado em 46 bancos fixos, 26 giratórios, 51 lixeiras e 12 estruturas para abrigar sinalização e iluminação.

O inox foi considerado a escolha exata para aliar beleza, durabilidade e a melhor relação custo/benefício, de acordo com o diretor de Marketing da Comisa, empresa responsável pela aplicação de aço inoxidável no projeto, Ederson dos Santos. “Intervenções em espaços públicos causam sérios impactos para a comunidade. Portanto, utilizamos matérias-primas resistentes e que demandarão menor incidência de manutenções corretivas ao longo da vida útil do projeto. Esse, com certeza, é o principal ganho quando se utiliza o inox”, destaca.

Durante todo o processo de revitalização da Praça da Savassi, que durou um ano, 120 empregados da Prefeitura de Belo Horizonte atuaram nas obras e outros 20 da Comisa executaram as peças de inox, desde o desenvolvimento até a aplicação no local.

A Savassi passou por um processo semelhante na década de 1990. Já naquele momento, muitas das peças de mobiliário urbano foram produzidas com inox. “O projeto atual ampliou ainda mais as possibilidades de uso do material. Destaco a ousadia de peças giratórias e disponibilização do mobiliário em todos os espaços do ambiente”, avalia Ederson.

Do escovado ao polido

Para quem vive na Savassi ou aproveita o local para fazer compras, passear e conversar com os amigos, a praça está ainda mais agradável. E o inox tem tudo a ver com isso. Brilhante ou fosco, em forma de tubos, hastes ou arcos, o material imprime ao espaço um visual limpo e arrojado. É o que pensa o analista de Projetos, Jud-van Bittencourt, morador da região há quatro anos. “Gostei da proposta. O inox permitiu uma estética interessante, com uma cara bem urbana, que me agradou. Além de bonito, a cidade não terá muito trabalho com a manutenção. Quem vive aqui, consegue ver que o movimento de pessoas ocupando a praça aumentou”, afirma.

Compartilhar: