Revista Espaço

Arte em formas

Exposição Essas Mulheres completa 17 anos revelando a arte feminina do Vale do Aço

23

Igreja de Ipatinga recebe uma das principais obras de Mírian

Entre a preparação de uma mamadeira e outra, Mírian D’arc Franco descobriu que o seu flerte com a arte estava se tornando cada vez mais sério. Antes da chegada dos filhos, na década de 1970, apenas brincava, riscando no papel os traços de pessoas conhecidas, nos intervalos do trabalho como contadora. Após abandonar os números, Mírian foi buscar qualificação em cursos de história da arte, papel artesanal, pintura em acrílico e até restauração.

Com o passar dos anos, a própria casa se tornou um ateliê onde quadros de temática religiosa dividem espaço com telas que retratam cenas típicas das cidades do interior de Minas Gerais. “Um dos trabalhos de que mais gosto é a Santa Ceia que fiz buscando elementos da região. Os apóstolos foram pintados com capacetes”, descreve a artista plástica.

Além do talento, as capacitações e a divulgação promovidas pela Fundação Aperam Acesita ajudaram a artista a construir uma carreira. Mírian participa da Exposição Essas Mulheres desde a primeira edição, há 17 anos. “Acabei me tornando conhecida no Vale do Aço. Pude fazer muitos cursos na Fundação e ministrar outros para repassar os meus conhecimentos aos demais artistas. O apoio da Aperam South America para aqueles que trabalham com arte é fundamental”, acredita.

Mulheres do Vale do Aço

A exposição Essas Mulheres é realizada sempre no mês de março, em homenagem ao dia internacional da mulher, dentro do calendário dedicado às artes visuais. São apresentadas, em média, 8 exposições anuais, organizadas pelo Programa Cultura e Cidadania, que também promove peças de teatro, música dança e oficinas. Desde 2011, a exposição Essas Mulheres tem um tema definido. Em 2013, será Ser Mulher, com o propósito de incentivar as participantes a retratar o olhar sobre seu próprio gênero. Cerca de 50 artistas participam de cada edição, apresentando quadros, esculturas e instalações.

Na abertura da próxima coletânea, no dia 8 de março, estão previstas uma apresentação cultural e a premiação para as artistas que, como Mírian D’arc Franco, estiveram presentes por mais de dez anos. “Com o passar do tempo, a gente percebe que os trabalhos estão cada vez mais elaborados”, comemora a coordenadora de Projetos de Cultura, Marilene de Lucca Siqueira.

Compartilhar: