Revista Espaço

Mais tempo para aprender

Aperam South America apoia projeto que oferece atividades extracurriculares para alunos da rede pública

16

Xadrez ajuda a desenvolver a capacidade de concentração e velocidade de raciocínio

De manhã, assistir às aulas de português, matemática, física, história e demais disciplinas. À tarde, aprender sobre história em quadrinhos, xadrez e teatro. A partir de 2013, essa será a rotina dos alunos das Escolas Estaduais Antônio Fernandes de Oliveira e Fidelcino Viana, situadas em Veredinha, e da Escola Estadual de Lagoa Grande, em Minas Novas, no Vale Jequitinhonha.

A atividade extracurricular faz parte do Programa Minas Presente na Escola, lançado pelo Governo Estadual, em março de 2012, com o objetivo de ampliar o tempo de permanência dos alunos no ambiente escolar, reduzindo o índice de evasão e proporcionando novas possibilidades de aprendizado. A iniciativa tem o apoio de diversas empresas e entidades parceiras, entre elas, a Aperam South America, por meio da Fundação Aperam Acesita.

Segundo a coordenadora do programa, Alice Nogueira da Gama, as atividades oferecidas no contraturno complementam o processo educacional dos alunos. “Essas ações ampliam o campo de interesse dos jovens, contribuindo para a melhoria da educação, objetivo principal do programa”, afirma.

No Vale do Aço, o Minas Presente na Escola foi lançado em agosto e conta com o apoio da Fundação Aperam Acesita, Cenibra, Universidade Pitágoras e Universidade Presidente Antônio Carlos (Unipac). “No primeiro momento, optamos por fazer uma experiência piloto junto à Escola Estadual Professora Hilda de Araújo Osório Zauza. A partir das lições aprendidas, pretendemos ampliar o leque de parceria do programa para outras escolas da região”, conta a assistente da área de Educação da Fundação, Flávia Soares.

Diretora da primeira instituição assistida no Vale do Aço, Graziela Gomes Pereira relata as expectativas para o projeto em 2013. A escola que, atualmente, possui mais de 300 alunos, pretende popularizar o xadrez no Ensino Médio. “Nossa ideia é aproximar o jovem do ambiente escolar por meio do jogo de tabuleiro que, além de divertido, ajuda no desenvolvimento cognitivo”, destaca.

As aulas de xadrez serão ministradas por um professor contratado exclusivamente para o projeto, como explica a diretora. “Com o apoio da Fundação Aperam Acesita, por meio do Projeto Minas Presente na Escola, compramos os jogos e, ainda, contratamos um profissional para a função de orientador de xadrez em nossa instituição. A ideia é que, com o passar do tempo, os próprios alunos do Ensino Médio tornem-se multiplicadores do xadrez em toda a escola”, revela Graziela.

 

Compartilhar: