Revista Espaço

Desempenho de craque

O aço inoxidável é altamente requisitado na construção de praças esportivas para as Copas do Mundo e das Confederações

6

A bola só rola em 15 de junho de 2013, quando o Estádio Nacional de Brasília sediará a abertura da Copa das Confederações, que antecede a competição principal: a Copa do Mundo de 2014. Mas até lá, as cidades-sede terão muito trabalho para finalizar sua preparação, melhorar a infraestrutura urbana, sistemas de transportes, hotéis e centros de convenções. Se na competição a qualidade técnica dependerá dos atletas que ainda serão selecionados, na reforma e construção dos estádios que receberão as partidas, a excelência está sendo garantida pela aplicação de materiais modernos e com atributos diferenciados, como o inox.

No estádio Plácido Castelo, o Castelão, em Fortaleza, primeiro estádio inaugurado, a fachada foi feita em chapas expandidas de aço inoxidável e vidro. O uso do material foi garantido graças aos entendimentos entre Aperam, Permetal, Martifer e pelo consórcio responsável pela obra para fornecimento de 80 toneladas de aço K44 2B, que foram transformados em chapas expandidas pela Permetal, empresa especializada na fabricação de artefatos de metal estampados. Para que o Castelão assumisse o posto de único estádio, com fachada em inox, a sediar os jogos, Marco Aurélio Fuoco, consultor de Negócios e Relações Institucionais da Aperam, conta que a Empresa precisou enfrentar um desafio. “Nossa primeira ação foi a de quebrar um paradigma de que o aço inoxidável é um material caro e que, portanto, não teria um uso viável. Este é, na verdade, um tema em que temos empregado muita energia, ou seja, demonstrar ao mercado que o inox não conta apenas com o atributo da beleza, mas também é um material economicamente viável por inúmeras razões: durabilidade, resistência, flexibilidade e é um produto reciclável”, avalia.7

Além da armação externa, o inox foi utilizado em guarda-corpos, corrimões das áreas VIP, sanitários e fechaduras do estádio. “Optamos pela durabilidade que o inox proporciona, fundamental para áreas como a fachada, que exigia um material resistente à corrosão, e pela sua aparência nobre, requisitada nos setores de hospitalidade”, comenta o arquiteto responsável pelo projeto, Ronald Fiedler.


Copa das Confederações

Torneio de seleções disputado no ano anterior ao da Copa do Mundo, para avaliar as condições das praças esportivas e de algumas das cidades que receberão jogos do mundial. No Brasil, serão seis sedes: Belo Horizonte, Brasília (abertura), Fortaleza, Salvador, Recife e Rio de Janeiro (local da final), que receberão as seleções do Brasil (anfitrião), Espanha (campeã da Copa do Mundo de 2010) e os vencedores de copas continentais: Japão (Ásia), México (Américas do Norte e Central), Taiti (Oceania) e Uruguai (América do Sul). O representante da África ainda será definido em janeiro de 2013 quando acontecerá a Copa da África. Na Europa, a campeã foi a Espanha, mas, como sua vaga já estava assegurada, a posição de representante passou para a vice-campeã, a Itália.


Qualidade que faz a diferença

8

Aos olhos do torcedor comum, mais preocupado com o desempenho dos craques nos gramados, ele passará praticamente despercebido, mas o aço inoxidável da Aperam também será parte fundamental da construção de mais dois estádios presentes na competição da Fifa. Com capacidade para 72 mil pessoas, o palco da abertura, Estádio Nacional de Brasília, antigo Mané Garrincha, terá perfis de fixação dos vidros de segurança, tipo Sentryglass, peitoris da arquibancada, gradis e peças especiais da cobertura tensionada feitos de inox. “O material é de alta confiabilidade, atendendo não só as questões de segurança como as de estética e manutenção”, afirma o arquiteto do projeto, Vicente Castro Mello, que também valoriza a sustentabilidade do material: “Sempre observamos a questão da manutenção e da vida útil dos componentes e o inox tem a grande vantagem de ser durável e 100% reciclável”, comenta.


Maracanã

No Rio de Janeiro, a modernização do Estádio Mário Filho, mundialmente conhecido como Maracanã, praticamente não produzirá alterações em sua fachada externa. Em compensação, a área interna será totalmente remodelada, incluindo corrimões, guarda-corpos, rampas e peças dos banheiros em inox. “A durabilidade e o fato de possuir um aspecto excelente, sem a necessidade de outros acabamentos, foram determinantes para nós. Mesmo não sendo a alternativa mais barata, é o melhor custo/benefício”, explica o arquiteto Daniel Fernandes, responsável pela obra.


Cada vez mais requisitado

9O arquiteto Edo Rocha, responsável pela planta da Arena Palestra, em São Paulo, um dos estádios que receberão as seleções em 2014, ressalta as qualidades do aço inoxidável em grandes obras e as perspectivas desse mercado no Brasil.

Como o senhor avalia a presença do aço inoxidável na construção civil?

Por todas as suas qualidades, o inox certamente é um material cada vez mais requisitado e utilizado. Aliás, essa sempre foi a tendência do material: ganhar espaço. Mas é necessário corrigir a visão de que ele é um material caro, o que não é verdade. É preciso reforçar todo o valor agregado que o produto carrega, por meio das suas inúmeras qualidades. Felizmente, essa é uma compreensão que está ficando mais clara no Brasil. O inox tem um excelente custo/benefício.

O senhor é reconhecido como uma das maiores referências no país para aplicação do inox em espaços corporativos. Quais as principais qualidades oferecidas pelo material?

O aço inoxidável envelhece bem. Exige menos manutenção, sem a necessidade de materiais complexos de limpeza, pintura etc. Esse aspecto o torna muito versátil e com grande aplicabilidade em vários empreendimentos. Outro detalhe importante é que pode ser reciclado.

O material pode ganhar ainda mais destaque no campo da arquitetura, nos próximos anos?

Sim. Hoje, temos cada vez mais empresas trabalhando com o inox, o que resulta em uma grande variedade de produtos e equipamentos, além da maior facilidade de acesso. Com isso, a indústria do aço inoxidável passa a colocar no mercado mais produtos, com designs cada vez mais inovadores. Isso ajuda a ganhar espaço.

O inox também pode ser usado em espaços públicos, como praças e parques?

Claro. A sua beleza, versatilidade e facilidade de limpeza, características principais que enxergo no inox, permitem esse tipo de aplicação.

Compartilhar: