Revista Espaço

Um jeito novo de fazer inox

Receita inovadora proporciona ganhos em produtividade no recozimento em caixa da Laminação a Frio de aços inoxidáveis

16

Ailton Barbosa, Paulo Henrique e Cláudio Alcântara estiveram envolvidos nas melhorias realizadas na Laminação a Frio, que garantiram produção mais dinâmica para os aços da linha 430

A Aperam South America desenvolveu uma nova fórmula para aumentar ainda mais a eficácia de sua produção de inox P430A, aço amplamente utilizado na linha branca. O projeto envolveu melhorias no processo de recozimento em caixa, uma das etapas responsáveis por realçar as características visuais do inox e garantir um brilho diferenciado.

Segundo o técnico Cláudio Alcântara, do Centro de Pesquisas, o trabalho resultou na criação de uma receita inédita para controle dos gases dentro do equipamento de recozimento, o que proporcionou uma redução significativa na duração do ciclo produtivo e garantiu a qualidade do produto com redução do custo.

O recozimento do aço P430A é feito em uma câmara fechada e se divide em três etapas: aquecimento, encharque e resfriamento. Anteriormente, a atmosfera interna do equipamento era um misto de 95% de gás nitrogênio (N2) e 5% de gás hidrogênio (H2) durante todo o processo. “Nossa proposta foi alterar essa receita para 100% de hidrogênio na fase de aquecimento, já que as propriedades desse gás permitem conduzir calor com eficiência sete vezes maior que o nitrogênio”, explica Cláudio.

As simulações realizadas em laboratório demonstraram a viabilidade da nova fórmula, o que possibilitou a redução total de cinco horas no processo de recozimento do P430A, fechando o ciclo em 49 horas. Atualmente, o experimento encontra-se implantado em 70% da produção, gerando um aumento de oferta anual de mais de nove mil toneladas.

“A mudança garantiu uma produção mais dinâmica para os aços inoxidáveis da linha 430. Comisso, a Empresa pode atender a um número maior de demandas, com a mesma qualidade”, resume Ailton Barbosa, da gerência de Recozimento Inicial e Preparação de Bobinas.


Visual impecável

Para chegar ao resultado esperado, a equipe responsável pelo projeto investiu bastante na revisão dos procedimentos operacionais do recozimento em caixa. O trabalho envolveu abrangente estudo do funcionamento do equipamento e uma série de testes, até que a receita mais eficaz fosse encontrada.

O assistente técnico da área de Metalurgia do Inox, José Sérgio Ferreira, conta que a proposta inicial era aplicar a atmosfera de gás hidrogênio a todo o processo, inclusive na fase de encharque. O experimento reduziu o processo de recozimento, porém aumentou consideravelmente a incidência de defeitos que causam perda no brilho do inox. “O ideal é que, nessa fase, o aço esteja o mais ‘seco’ possível. A solução encontrada foi manter a mistura dos gases nitrogênio e hidrogênio no encharque e resfriamento”, explica José Sérgio.

Com isso, além de desenvolverem uma nova receita, a equipe conseguiu baixar, simultaneamente, a duração do ciclo produtivo, a incidência de defeitos no P403A e os custos de produção. “O projeto foi um sucesso. Alcançamos melhorias em todos os aspectos”, comemora José Sérgio.

Compartilhar: