Revista Espaço

Para dizer não às drogas

Contemplando 100% das escolas timotenses, Proerd promove amplo trabalho de conscientização

23

Formatura do Proerd reuniu 1300 crianças que aprenderam sobre os prejuízos que o uso de drogas pode trazer

Estimular o protagonismo juvenil é um dos focos da Fundação Aperam Acesita na realização de programas voltados para crianças e adolescentes. Em todas as iniciativas que promove ou apoia, a instituição busca criar ambientes de discussão saudável, em que os jovens beneficiados possam colocar em pauta os temas que interessam a eles mesmos e à comunidade.

Um desses projetos é o Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd), que visa a instruir alunos do 5º ano do Ensino Fundamental sobre os malefícios causados pelo consumo de drogas.Realizado pela Polícia Militar em diversos municípios do país, o Proerd conta com o apoio da Aperam South America, por meio da Fundação, da Prefeitura de Timóteo e da Superintendência Regional de Ensino de Coronel Fabriciano.

Em Timóteo, todas as escolas públicas e particulares são atendidas pelo projeto. Na última edição, realizada no primeiro semestre, cerca de 1300 estudantes participaram das atividades.

Há 12 anos atuando no Proerd, a sargento Lindamar Andrade de Oliveira, coordenadora da equipe de policiais que vai às escolas, destaca a importância da iniciativa. “Quando conhecemos os jovens, mostramos a eles os prejuízos que as drogas podem trazer”, afirma.

Segundo a sargento, é aos dez anos – idade média dos participantes – que as opiniões começam a ser formadas. “Essa fase exige atenção, pois é o momento em que eles fazem escolhas decisivas. Aprender a dizer não para o que é ruim é fundamental”, destaca.

Amanda dos Santos Moreira é aluna da Escola Estadual Juscelino Kubitschek de Oliveira e concluiu o curso em julho. Ela conta que os pais aprovaram a iniciativa. “Eles estão mais seguros das minhas escolhas”, afirma a garota. “Os policiais me explicaram o quanto usar droga é ruim. Eu gostei do curso e meus colegas também”, complementa.

O apoio ao programa evidencia os ganhos das famílias com o Proerd. “Os pais têm receio de falar com os filhos sobre drogas. Nós preenchemos essa lacuna durante todos os encontros do programa e facilitamos esse diálogo”,ressalta a sargento Lindamar.

Novidades no programa

A partir do segundo semestre, um novo módulo do Proerd será implantado em algumas escolas da cidade. Alunos do 7º ano receberão os policiais militares para reforço aos ensinamentos passados durante o 5º ano. A proposta é contextualizar o mundo das drogas em uma nova fase da vida dos alunos: a adolescência.

Compartilhar: