Revista Espaço

Cidades mais bonitas e limpas

Inox equipa sistema ecológico de acondicionamento subterrâneo de lixo, que favorece a coleta seletiva e a limpeza urbana

1

Destaque na última edição da Vila do Aço, lixeiras de inox são integradas a contêineres subterrâneos, deixando as ruas mais limpas e facilitando a coleta de resíduos 

As ruas brasileiras estão ganhando uma nova forma de recolhimento e armazenamento de resíduos orgânicos e recicláveis, com a instalação de compartimentos subterrâneos que substituem sacos plásticos e lixeiras de ferro. O sistema consiste no uso de recipientes em aço inoxidável, assentados sobre grandes contentores instalados nos subsolos das calçadas, com capacidade para receber três metros cúbicos de lixo — volume equivalente a três mil litros. Com isso, a separação do lixo é feita desde a origem e os custos de recolhimento são­ reduzidos ­em­ até ­30%,­com otimização da mão de obra, do deslocamento de veículos e do gasto de energia.

“Conseguimos incentivar a coleta seletiva, oferecendo uma solução bonita e prática, e, ao mesmo tempo, contribuímos para a redução da poluição visual e material das ruas”, destaca Sérgio Machado, diretor da Sotkon ­Brasil, ­empresa ­do ­Grupo Allegro Participações, responsável pelo desenvolvimento do sistema no país.

Graças­ ao­ uso ­do ­inox,­ as lixeiras também têm a manutenção e a limpeza facilitadas e não correm riscos de infiltração, além de emprestarem beleza às ruas em que são instaladas. “O projeto foi concebido com foco em ergonomia, estética, higiene e segurança, aspectos que casam perfeitamente com o que o inox nos proporciona”, afirma Sérgio Machado.

Produzido com o aço da Aperam South America, o sistema foi a­ grande­ novidade ­da­ Vila do Aço deste ano, exposição que apresentou diversas possibilidades de aplicação do aço na construção civil. “Fazer parte da instalação dessa tecnologia é duplamente satisfatório, pois a aplicação aproveita os aspectos sustentáveis proporcionados pelo aço inoxidável e também vai ao encontro da proposta da Empresa de sempre investir em iniciativas voltadas à preservação ambiental”, afirma­ o­ consultor­ de ­Marketing­ e Relações Institucionais ­da ­Aperam South America, Marco Fuoco.


Tendência

Na Europa, o sistema de armazenamento subterrâneo já é reconhecido ­como­ o ­de­ melhor­ custo benefício operacional e estético. No Brasil, a cidade de Paulínia, no interior de São Paulo, foi a primeira a instalar os coletores no subsolo, totalizando 50­ conjuntos.

O recolhimento é realizado todas as noites por caminhões equipados com pequenas gruas hidráulicas, que fazem a coleta dos resíduos separados ­por ­tipo:­ reciclável (plástico,­ papel,­metal)­ ou­ orgânico.­

Ainda em 2012, São Paulo será a segunda cidade brasileira a receber um sistema subterrâneo de recolhimento de lixo. “A conteinerização tem sido discutida em todo o mundo como a melhor solução em termos de saúde e higiene para as grandes metrópoles, que estão sujeitas a inundações periódicas”, ressalta ­o ­diretor­ da ­Sotkon ­Brasil,­ Sérgio Machado.

 

Compartilhar: