Revista Espaço

Empresa antecipa agenda da Rio+20

Atuação da Aperam South America está alinhada aos objetivos da conferência mundial de meio ambiente

8

Ações sustentáveis na Empresa envolvem empregados, meio ambiente e produção

Duas décadas se passaram desde a realização da Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento (Rio-92), encontro que reuniu os países membros da ONU para definir uma agenda de ações em prol do meio ambiente. Este ano, de 13 a 22 de junho, o Rio de Janeiro voltou a sediar o evento, agora chamado Rio+20, nome que faz alusão ao tempo decorrido desde a primeira conferência. Dois temas ocuparam o centro dos debates: a economia verde no contexto do desenvolvimento sustentável e da erradicação da pobreza e a estrutura institucional para o desenvolvimento sustentável.

A preservação do meio ambiente, alinhada à promoção social, está no cerne da política de gestão ambiental da Aperam South America. Seus projetos para uma economia verde são balizados pelos três eixos de atenção propostos pelo conceito de sustentabilidade: a necessidade de atuar de modo ambientalmente justo, socialmente correto e economicamente viável.“As iniciativas executadas pela Aperam South America já estão de acordo com as premissas elaboradas para a Rio+20. Isso mostra o amadurecimento do nosso trabalho de gestão ambiental”, declara o gerente executivo de Saúde, Segurança e Meio Ambiente, Leonam Almeida.

Como resultado desse modo de agir, a Empresa conquistou, em 2011, pela quarta vez, o título de empresa-modelo do Guia Exame de Sustentabilidade. O reconhecimento é consequência das práticas adotadas pela Aperam South America, em consonância com a proteção do meio ambiente e a valorização do ser humano.

Desde 2001, a Aperam South America é certificada pela ISO 14001 e passa por auditorias periódicas que avaliam se as atividades desempenhadas se mantêm alinhadas às diretrizes preconizadas pela norma. Como aponta o assessor de Meio Ambiente da Aperam South America, Glautiere Gomes, a Empresa tem obtido resultados positivos nas avaliações às quais é submetida. “Já estamos há quatro anos sem registrar não conformidades com a ISO 14001”, acrescenta.

Beneficiamento conjunto

9

Ações de educação ambiental nas áreas verdes do Oikós buscam disseminar os conceitos de sustentabilidade entre as gerações futuras

O Sistema de Gestão Ambiental desenvolvido pela Aperam reúne ações de tratamento dos seus efluentes, monitoramento dos recursos hídricos, instalação de tecnologias ambientais, gestão e transporte de resíduos, controle de emissão de gases, economia de energia e educação ambiental.

Paralelamente, a Fundação Aperam Acesita executa projetos que agregam desenvolvimento pessoal com sustentabilidade ambiental.

“A evolução socioeconômica das comunidades onde estão instaladas as unidades da Aperam South America é fundamental para o crescimento da Empresa. Principalmente a cidade de Timóteo e seis municípios do Vale do Jequitinhonha”, reitera o presidente da Fundação Aperam Acesita, Venilson Vitorino.

Meio ambiente, cultura, educação e promoção social são os principais focos de atuação da Fundação mantida pela Aperam South America. Seus projetos envolveram 35 escolas e capacitaram 950 professores da rede municipal, em 2011.Os alunos tiveram aulas de reforço escolar, teatro e receberam orientações sobre ética profissional. Os empregados também têm atenção especial e incentivo para aumentar o grau de escolaridade por meio de ações, como o Projeto Capacitar, oferecido aos profissionais da Aperam Bioenergia.

Em conjunto com a Inter American Foundation (IAF), são promovidas iniciativas de capacitação profissional e geração de renda para jovens e famílias de baixa renda. A Associação de Catadores de Materiais Recicláveis de Timóteo (Ascati) é uma das instituições apoiadas pela parceria, com melhorias no processo de operacionalização de seu galpão e na compra de novos equipamentos. A cultura e o artesanato ganham espaço em exposições no Centro Cultural da Fundação, como a recém-concluída mostra de artistas do Vale do Jequitinhonha.

7


Produção verde e limpa

A maior produtora de aços inoxidáveis da América Latina tem também um dos maiores altos-fornos movidos a carvão vegetal do mundo. O Alto-Forno 2, da Usina de Timóteo, passou a operar com o termorredutor renovável e alcançou a substituição total do coque metalúrgico, em setembro de 2011. Com isso, 700 mil toneladas de CO2 deixaram de ser lançadas na atmosfera por ano, o que significa uma redução de 50% do total de emissões desse gás geradas pelas atividades na planta.

O carvão vegetal é fornecido pela Aperam Bioenergia, produzido a partir de florestas de eucalipto cultivadas no Vale do Jequitinhonha. Outro ganho ambiental resultante do uso desse combustível decorre do fato de que florestas em crescimento captam CO2 na atmosfera, compensando as emissões dos processos produtivos de aço.

A substituição do coque pelo carvão vegetal é mais uma iniciativa em consonância com a temática da Rio+20. A Aperam Bioenergia tem capacidade produtiva atual de 1,8 milhão de metros cúbicos por ano – o equivalente a 450 mil toneladas de carvão vegetal –, mas que pode ser estendida a 2,2 milhões nos próximos anos.

Compartilhar: