Revista Espaço

Bom exemplo nos pedais

Empregados da Aperam South America fazem da bicicleta um meio de transporte e de lazer

15

Fabrício (à esquerda) formou grupo para pedalar em Timóteo e região nos finais de semana

Quando morava em Vargem Grande do Sul, no interior do estado de São Paulo, sempre que possível, o analista de mercado da Aperam South America, Bruno Perroni, utilizava a bicicleta como meio de transporte. Desde que se mudou para São Paulo, sexta metrópole mais populosa do mundo, sentia falta da agilidade e do bem-estar ao utilizar o veículo.

Há um mês, no entanto, incentivado pelo exemplo do diretor Comercial da Aperam South America, Frederico Ayres, Bruno passou a fazer o trajeto de 6 km de sua casa até o escritório em que trabalha, de bicicleta. “Se o diretor vinha de um lugar até mais distante, por que não poderia tentar?”, perguntou-se.

Hoje, Bruno gasta a metade do tempo que levaria de carro para percorrer o mesmo caminho. São cerca de 30 minutos pedalando. Além disso, aponta que o hábito se torna uma alternativa saudável, uma vez que não gosta de frequentar academias.

Apesar do aumento da malha de ciclovias na capital paulista, Bruno acredita que as longas distâncias sejam o principal fator que desmotiva os colegas a adotarem a bicicleta como meio de transporte. A conscientização dos motoristas e a criação de locais para estacionar a bicicleta com segurança também precisam melhorar. “Se passamos a utilizar alternativas de transporte como os coletivos, as bicicletas e até mesmo caminhar, criamos um ambiente propício ao respeito. E com a demanda crescente, incentivamos a construção de ciclovias”, analisa.

Fim de semana

16

Bicicleta passou as ser meio de transporte de Bruno no trajeto de casa para o trabalho, em São Paulo

Em Timóteo, a bicicleta virou um compromisso certo nos finais de semana do pesquisador do Centro de Pesquisas, Fabrício Alcântara. Junto de dois colegas de trabalho e suas respectivas esposas, ele pedala cerca de 45 km pela região, indo até cidades como Ipatinga e Cava Grande.

“O maior benefício é o bem-estar, com passeios em meio à mata, num ambiente saudável, sem poluição”, afirma Fabrício, que montou o grupo de ciclistas há quatro meses. “A primeira vez é cansativa, mas se insistir vira uma paixão”, enfatiza.

Fabrício ressalta que é necessário ter cautela para iniciar o esporte, que exige equipamentos específicos. “O último Dia de Saúde e Segurança(Celebrada no dia 28 de abril, a data foi criada por uma resolução da Organização Internacional do Trabalho (OIT). Desde 2006, é parte do quadro de comemorações da Aperam South America, que a aproveita para reforçar e consolidar as ações de segurança mantidas diariamente na Empresa) colaborou para avaliarmos os itens de segurança a serem usados nos percursos, como capacete, luvas, calçados e roupas adequados”, conta. O grupo de Fabrício utiliza todos os materiais para garantir a segurança em seus trajetos, além de um modelo de bicicleta adequado. “Como andamos no asfalto e na terra, a bicicleta tem de ser resistente e leve, para proporcionar conforto”, completa.

Na Aperam South America, iniciativas para a educação no trânsito têm sempre destaque e foram intensificadas com a reinauguração a Transitolândia, no mês de abril, em Timóteo. Neste ano, os projetos desenvolvidos na via darão ênfase aos direitos e deveres dos ciclistas. Além disso, desde o ano passado, a Empresa sorteia, entre os empregados, kits de segurança com capacetes, luvas, sinalizadores noturnos, retrovisores e buzinas.

Compartilhar: