Revista Espaço

100% sustentável

Acordo firmado pelo IABr com o Governo brasileiro garantirá a procedência de todo o carvão vegetal usado na siderurgia até 2016

12

Combustível dos altos-fornos da Usina de Timóteo já é 100% renovável, sendo obtido a partir da produção da Aperam Bioenergia

A Aperam South America participou da assinatura, em Brasília, junto ao Governo Federal, do Protocolo de Sustentabilidade do Carvão Vegetal. O documento é o compromisso voluntário das empresas associadas ao Instituto Aço Brasil (IABr) em trabalhar apenas com a produção sustentável do insumo, atingindo, em até quatro anos, 100% de florestas plantadas para atender à sua demanda.

Em 2011, 80% do carvão vegetal consumido pela indústria do aço foi proveniente de florestas plantadas próprias, 10% de florestas plantadas de terceiros e 10% de resíduos florestais legalizados. Pelo acordo, a partir de 2016, além de todo carvão vegetal vir de florestas plantadas, as empresas deverão comprovar, por meio de documento oficial, a origem legal do produto.

Outra ação importante é a implementação de um Programa de Qualificação de Fornecedores. As organizações do setor se adequarão aos requisitos para avaliação e qualificação de parceiros, mantendo relação comercial somente com aqueles que cumprirem todas as exigências legais, em um padrão semelhante ao que a Aperam South America já mantém.

Ao mesmo tempo, a participação direta do Poder Público nesses processos é um passo essencial para a criação de mecanismos que viabilizem a inserção dos produtores de carvão vegetal na legalidade, com a formação de cooperativas, criação de linhas especiais de crédito e outras alternativas para famílias que atualmente produzem o insumo em fornos primitivos, em várias regiões do país.

“Considero que a divulgação desse protocolo pelos produtores do aço é uma importante contribuição ao esforço do Poder Público em conscientizar os demais segmentos da cadeia produtiva em também terem compromissos de sustentabilidade social e ambiental na produção de carvão vegetal”, afirmou a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, durante o evento de assinatura do acordo.

Referência no assunto

A Aperam South America já é um exemplo de como produzir gusa de maneira ambientalmente correta e economicamente viável, com utilização de fonte energética renovável no abastecimento dos Altos-Fornos 1 e 2, da planta de Timóteo.

Por meio da Aperam Bionergia, a Empresa produz carvão vegetal para uso siderúrgico a partir de florestas de eucalipto, localizadas nos municípios de Capelinha, Minas Novas, Turmalina, Itamarandiba, Veredinha e Carbonita, na região do Vale do Jequitinhonha (MG).

Além da produção do combustível, as operações da unidade também geram benefícios sociais, econômicos e ambientais para as comunidades da região, que, ao mesmo tempo, participam dos projetos voltados para educação, cultura e promoção social, desenvolvidos pela Fundação Aperam Acesita.

Compartilhar: