Revista Espaço

Cultivo pelo ar

Aperam Bionergia incorpora novo processo de adubação em suas florestas

10

Abastecimento do avião, que tem capacidade de lançar 1,9 mil litros de adubo por voo

Um novo modelo de lançamento de fertilizantes passou a fazer parte da produção da Aperam Bioenergia, com a utilização de avião para adubar alguns trechos de plantações mantidos pela Empresa, nos municípios de Capelinha, Turmalina, Veredinha, Minas Novas e Itamarandiba, no Vale do Jequitinhonha (MG).

O processo, iniciado em março, é feito com uma aeronave destinada exclusivamente a atividades agrícolas. Fabricado nos Estados Unidos, o modelo utilizado tem capacidade de armazenamento de 1,9 mil litros de adubo, propiciada, principalmente, pelo espaço reduzido na cabine, que só abriga o piloto. Com envergadura de 17 metros, quando não está aplicando adubo, o avião pode alcançar três mil metros de altura e voar a uma velocidade de até 250 Km/h.

A adubação aérea leva, em média, 13 minutos, período necessário para o abastecimento do tanque, partida, auxiliada por caminhonete que o acompanha, colocação dos insumos em um compartimento especial e pouso para reabastecimento. As áreas de lançamento são delimitadas por GPS, para garantir máxima precisão na aplicação,feita com a aeronave 15 metros acima da floresta. Além disso, as condições de vento são sempre analisadas, antes da decolagem e durante o voo.


Rápido e uniforme

A iniciativa favorece o cultivo, beneficiando a plantação e o crescimento das árvores, como explica o gerente de Silvicultura da unidade, Daniel Fernandes: “O uso de aeronaves propicia a aplicação do adubo em menor tempo e de maneira mais uniforme, aproveitando a melhor época de lançamento e aumentando a eficiência do insumo”.

Daniel destaca também que a ação é mais um exemplo do esforço que a Aperam Bioenergia vem empreendendo para incorporar os mais modernos e eficientes equipamentos à sua produção. “Mostramos novamente porque temos nos destacado no setor florestal como uma Empresa de ponta, sempre em busca do desenvolvimento sustentável, com melhorias nos processos acompanhadas de respeito ao meio ambiente”.

Para evitar surpresas ou sustos às comunidades próximas das florestas, todas as atividades são avisadas por meio de folhetos ou e-mails explicativos. O mesmo ocorre em relação às autoridades dos municípios onde as ações são executadas.

Compartilhar: