Revista Espaço

Ó abre alas

Tradição nos quatro cantos do país, Carnaval tem lugar garantido na vida de empregados da Usina de Timóteo

15

Criação de alegorias e enredos faz parte da vida de Júlio Caldeira há mais de 20 anos

Uma das maiores e mais tradicionais festas populares brasileiras também encontra entusiastas entre os empregados da Aperam South America. É o caso de Júlio César Caldeira, engenheiro mecânico da área de Engenharia de Equipamentos da Usina de Timóteo, que participa da criação de enredos e alegorias da escola de samba “Os Bocas Brancas”.

Sua história com a festa vem de longa data. “Mudei-me para Timóteo em 1979 e, logo no ano seguinte, foi realizada a primeira edição do desfile de carnaval da cidade. Lembro como se fosse hoje do misto de curiosidade e encantamento com que assisti àquele desfile”, relembra.

A experiência o acompanhou pelo resto da infância, quando se tornou figurinha carimbada dos carnavais timotenses. Até que, em 1987, Júlio passou a ter um envolvimento direto com a organização da festa. “Comecei ajudando na produção das fantasias e, desde então, nunca mais saí desse mundo”, conta.

Ao longo de mais de 20 anos, ele já passou por várias funções dentro da Escola, chegando a diretor de alegorias e de desenvolvimento de enredos. “Faço questão de sempre participar, pois penso que o carnaval tem um raro poder transformador”, afirma, explicando que, para ele, “a festa consegue traduzir a criatividade e alegria do ser humano em fantasias, cores e música, criando um clima que diverte a quem participa e agrada às pessoas que assistem”.


Cultura negra

16

Reginaldo Carlos é um dos diretores do Bloco Cultural e Carnavalesco Afoxé, que tem a cultura negra como foco principal de seus desfiles e trabalhos sociais

A gerência de Utilidades também tem um empregado participando da festa e celebrando a data. Assim como Julio Caldeira, o analista técnico Reginaldo Carlos é presença constante nos desfiles de escolas de samba de Timóteo.

Desde 1996, ele faz parte da diretoria e é um dos organizadores da participação do Bloco Cultural e Carnavalesco Afoxé do bairro Bromélias na festa. “Sempre gostei de carnaval e, com o bloco, consegui aliar a alegria da data à celebração da tradição e cultura negras”, destaca Reginaldo. “Nosso desfile exibe traços característicos da cultura africana, com instrumentos de percussão como atabaques e agogôs, além das cores e símbolos ligados às tradições dos cultos afro-brasileiros”, detalha.

Além da participação nos eventos da cidade, o grupo mantém atividades ao longo do ano, visitando escolas e outras instituições da região para apresentar espetáculos e encenações sobre a cultura negra.

Compartilhar: