Revista Espaço

Em evolução, sempre

Para consolidar sua política de desenvolvimento sustentável e inspirada pela Conferência Rio+20, apoiada pela ONU, que será realizada no Rio de Janeiro em junho de 2012, a Revista Espaço inaugura nesta edição série de matérias sobre ações da Aperam South America em favor da sustentabilidade. Eficiência energética e uso racional de recursos hídricos são temas de reportagens que ocuparão as páginas da revista ao longo do ano.

Aperam aperfeiçoa tecnologias para reduzir perdas e melhorar o desempenho de seus aços elétricos

4

Exemplo de motor elétrico para carros híbridos produzido com aços da Aperam; tecnologia possibilita redução da emissão de poluentes e uso de combustíveis fósseis

A Organização das Nações Unidas (ONU) elegeu 2012 como o Ano Internacional da Energia Sustentável para Todos. A escolha não é gratuita: reflete demanda global por desenvolvimento de materiais e produtos de baixo consumo energético, categoria em que se enquadram os aços nobres de baixíssima perda magnética da Aperam South America.

Para alcançar a eficiência exigida pelo mercado, os projetos de aços elétricos de grão não orientado (GNO) da Aperam envolvem um time entrosado, formado por profissionais das áreas de Produção, Comercial e Centro de Pesquisa. Foi por causa dessa integração que se chegou, por exemplo, ao aço E100, de melhor desempenho, com baixíssima perda e alta permeabilidade magnética. Características que o põem em destaque no mercado para aplicações em máquinas elétricas de alto rendimento energético.

A estrutura montada em torno do E100 exemplifica a preocupação da empresa em melhorar permanentemente seus processos e produtos. “É um trabalho constante, pois o mercado está sempre em evolução e um bom aço elétrico de hoje poderá se tornar obsoleto daqui a algum tempo”, afirma Ronaldo Claret, gerente do Centro de Pesquisa.

Tanto que, nos próximos dois anos, a empresa espera finalizar os testes com um novo aço elétrico GNO de mais baixa perda magnética que o E100. “É um produto que ainda não existe no mercado, também desenvolvido com tecnologia exclusiva da Aperam”, conta Sebastião Paolinelli, coordenador do grupo de pesquisas em aços elétricos do Centro.

Híbridos

De olho no futuro, a Empresa investe em materiais para aplicações ainda inexistentes no Brasil, como os aços GNO para motores elétricos de veículos híbridos. Ao todo, são seis modalidades de aço prontas para serem empregadas nesse tipo de motor que funciona como auxiliar dos motores a combustão, daí o termo híbrido. Essa combinação tem o objetivo de reduzir o consumo de combustíveis fósseis e a emissão de poluentes na atmosfera, além de melhorar o desempenho do veículo em que é utilizado.

Nos carros híbridos, parte da energia gerada pelo motor a combustão e da que se dissipa durante a frenagem é acumulada em baterias e utilizada para acionar o propulsor elétrico.

Modelos híbridos já começam a ser vendidos no País, mas o mercado é incipiente se comparado aos da Europa, Estados Unidos e Japão. Sem produção interna, a tecnologia se restringe a modelos de luxo, com preço elevado, uma vez que são importados.

 

 

Compartilhar: