Revista Espaço

Eletrodutos de inox

Aperam South America estuda aplicação do produto em sua infraestrutura de comunicação de dados

7

Reginaldo, Cláudio e Luiz Roberto, da equipe responsável pelo Projeto

A versatilidade e qualidade do aço inox produzido pela Aperam South America permitem que descobertas sobre novas aplicações do produto sejam cada vez mais recorrentes. Uma das mais recentes aconteceu na própria Usina da Empresa, durante visita do presidente Clênio Guimarães. Na ocasião, foi sugerido que os eletrodutos de aço galvanizado que compõem as infraestruturas das redes de comunicação de dados fossem substituídos por peças de aço inox produzidos pela própria Aperam.

A partir dessa hipótese, foi feito um estudo, conduzido pelas gerências de Automação e Melhoria Contínua, que comprovou a viabilidade da aplicação sugerida. Um projeto piloto desenvolveu os novos componentes utilizando aço P409A (K09) e substituiu com sucesso uma infraestrutura na Aciaria.

Segundo o engenheiro de automação Luiz Roberto Fonseca, a mudança demonstrou possibilidade de redução no custo de implantação e no tempo de montagem, além de facilitar o manuseio, já que os eletrodutos de inox são mais leves do que os de aço galvanizado. “Os protótipos fabricados pela Aperam possuem a mesma resistência e durabilidade dos eletrodutos existentes no mercado e ainda são mais baratos”, completa.

Nessa fase inicial, os componentes foram produzidos com material disponível (MD) da unidade da Aperam Serviços, em Timóteo. “Fizemos as peças com diâmetro e roscas compatíveis com as conexões utilizadas para este tipo de aplicação, o que facilitou a montagem”, conta Luiz Roberto.

8


Economia à vista

De acordo com uma planilha de custos elaborada pela gerência de Melhoria Contínua, a utilização dos eletrodutos de inox nas infraestruturas pretendidas é economicamente viável. “Acreditamos que a economia possa ser superior a 50%”, estima o analista Cláudio Gomes.

Com o sucesso do protótipo, a equipe responsável pelo projeto, que ainda conta com profissionais do Centro de Pesquisas e da área de Utilidades, pretende elaborar uma proposta de transformar os eletrodutos de inox em produtos comercializáveis. Seria algo semelhante ao ocorrido com as telhas inox e as chapas expandidas, que também nasceram de ideias para aplicação interna. “É uma boa oportunidade para entrar nesse nicho de mercado com um produto diferenciado e de qualidade”, projeta Cláudio.

Compartilhar: