Revista Espaço

Aprendizagem múltipla

Ações da Fundação no Vale do Jequitinhonha garantem desenvolvimento local com melhoria das condições e capacitação da comunidade

23

Centro Comunitário construído pelo Grupo Boa Fé Forquilha funcionará como local de qualificação profissional e elaboração de projetos da comunidade

Propiciar ganhos de qualidade de vida, transformando a realidade das comunidades com o estabelecimento de condições favoráveis à evolução local. É com esse propósito que a Fundação Aperam Acesita promove o Programa de Desenvolvimento de Comunidades, que além de incentivar o desenvolvimento de uma região parceira, capacita e orienta os moradores a manter o que foi construído, formando uma estrutura autônoma. “Incentivamos ações coletivas das organizações de base para gerar sustentabilidade, de maneira que os valores investidos e captados se transformem em um legado para a região e para seus moradores”, afirma Salete Silva, coordenadora de Projetos da Fundação Aperam Acesita.

No Vale do Jequitinhonha, o programa tem duas ações em andamento. Em Minas Novas, o Grupo da Boa Fé Forquilha está finalizando a construção do Centro Comunitário, que funcionará como unidade de capacitação em temas como qualificação profissional e elaboração e gestão de projetos.

A obra, praticamente concluída, contou com as parcerias da Aperam BioEnergia, por meio da Fundação Aperam Acesita, com recursos humanos e financeiros, da RedEAmérica, da Prefeitura, com a cessão de terreno, e com a mobilização da comunidade, que voluntariamente participou da construção. “Graças a um trabalho organizado e ao apoio da região, o Grupo conseguiu economizar recursos financeiros e agora está solicitando junto à Fundação e à RedEAmérica a utilização do saldo para outras melhorias, como a compra de mobiliário para o local”, informa Regisllainy Cobucci Pena, analista de Responsabilidade Social.

A infraestrutura do Centro conta com uma secretaria e duas salas para capacitação, cursos e eventos, além de três banheiros, incluindo um para pessoas com deficiência. “Essa ação é um exemplo do trabalho que pretendemos desenvolver aqui. Ao fornecer assessoria sobre cidadania, gestão e captação de recursos, contribuímos para a geração de renda e proporcionamos à comunidade a capacidade do exercício comunitário e apropriação de seus projetos”, destaca Regisllainy.

Terreno fértil

O mesmo trabalho vem sendo realizado em parceria com a Associação de Apicultores de Veredinha (AAPIVER), com apoio à construção da “casa do mel”, unidade de beneficiamento de produtos apícolas, e à qualificação da cadeia produtiva da apicultura do município.

No momento, devido ao alto custo da obra, a Associação está trabalhando junto à comunidade e à Prefeitura para arrecadar a contrapartida necessária, realizando rifas e outros eventos. Além disso, já tem a liberação do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) para o uso do terreno e, por meio de parcerias, a doação de todo o tijolo e telhas para a construção da unidade. “Queremos começar a construção já em conformidade com todos os padrões exigidos. Deste modo, poderemos desfrutar de todos os benefícios que a unidade trará assim que ela estiver finalizada”, relata Américo Oliveira, presidente da Associação.

Quando concluída, a Casa do Mel possibilitará a ampliação da produção para até 150 toneladas de mel por ano, aumentando a renda das 60 famílias de apicultores do município. A iniciativa também viabilizará mecanismos de comercialização sem atravessadores e estimulará a profissionalização da produção.

Compartilhar: