Revista Espaço

Estação inox

Material é um dos principais componentes das recém-inauguradas instalações do metrô paulistano

2

Fachada de inox da Estação Butantã do metrô de São Paulo

Cada vez mais presente no dia a dia das pessoas, o inox agora também é o principal destaque das novas estações de metrô paulistano, com o fornecimento de aço inox para as obras da Linha 4 – Amarela (A expansão das linhas prevê a construção de 12,8 km e 11 estações, dividida em duas etapas. Além disso, haverá a integração com as Linhas 1 – Azul, 2 – Verde e 3 – Vermelha nas Estações Luz, Paulista e República, respectivamente.). “A participação nas obras de expansão demonstra como a Aperam South America está alinhada com as mais recentes demandas do mercado e preparada para atender diferentes aplicações, segmentos e clientes”, destaca Marco Aurélio Fuoco, da gerência de Marketing da Aperam South America.

Nas estações recém-inauguradas, o aço inox foi utilizado nas estruturas da cobertura, revestimentos de fachada e internos, guarda-corpos, suportes para comunicação visual e mapas, acabamentos de elevadores; no mobiliário, como bancos, lixeiras, catraca e acabamento dos elevadores; e na produção e reforma do trem.

“Para a criação das estações, o Departamento de Arquitetura do Metrô de São Paulo elaborou diretrizes que previam o uso de cores e materiais modernos para que as estações se tornem marcos urbanos, chamem a atenção e não desapareçam no tecido da cidade, rompendo com o visual monótono e cinza das linhas mais antigas”, informa a Treta Projetos, empresa responsável pelo projeto das Estações Butantã e Faria Lima. “Com as orientações, a opção pelo aço inox foi uma escolha natural, devido a sua resistência a ações de vandalismo e intempéries, custo competitivo, durabilidade, facilidade de manutenção e pela beleza e requinte que carregam”, completa.

Outra característica valorizada na escolha do material foi o fato do aço inox ser um material reciclável, o que, em um momento de importância cada vez maior de ações ambientalmente corretas, torna seu uso muito requisitado para esse tipo de aplicação.

Como resultado, a arquitetura das estações da Linha 4 – Amarela têm um padrão estético leve e iluminado, valorizando a luz natural a partir de grandes clarabóias e oferecendo aos usuários uma sensação de conforto e bem-estar.

“A Aperam demonstrou que o aço inox é suficientemente versátil para atender às formas curvas e diferentes aplicações existentes, viável economicamente e pode ser a base de grandes projetos de estrutura urbana, que devem se tornar cada vez mais comuns com a realização da Copa do Mundo e das Olimpíadas no país”, conclui Marco Aurélio.

Compartilhar: