Revista Espaço

Em busca da máxima eficiência

Aperam Timóteo eleva índice de desempenho de laminadores, após workshop com equipes envolvidas no processo

7

Ao serem aplicadas na área, ações levantadas no workshop proporcionaram aumento de produção e eficiência

Integrantes da gerência de Laminação a Frio de Aços Inoxidáveis desenvolveram um projeto inédito com o objetivo de melhorar a performance dos laminadores LB1, LB3 e LB4. A iniciativa buscava recuperar o Índice de Eficiência Global (OEE) registrado nos equipamentos e aproximá-lo do melhor resultado registrado – 76,32% – por meio de melhorias propostas pelos próprios empregados envolvidos no processo. “Mobilizamos os operadores presentes em cada etapa da produção para participar de um workshop, com o intuito de levantar pontos em que era possível alcançar uma evolução no desempenho”, explica Adair Paulino do Couto, assistente técnico da área.

Após oito meses, o projeto apresenta ótimos resultados. Nesse período, o OEE passou de 68,5% para 71%, o que representa um ganho de cerca de sete mil toneladas de aço.

“Esse projeto é muito importante para a área, reúne diferentes equipes e se mostrou muito eficaz, aumentando a capacidade de produção e melhorando nossa eficiência para aceitar o máximo possível de pedidos e vendas”, destaca Clênio Santana, gerente da área na Aperam Timóteo.

Todos são importantes

O projeto começou em setembro com a compilação dos indicadores dos três laminadores utilizados. Com os dados em mãos, a gerência reuniu as equipes das áreas de Operação, Manutenção, Controle de Processo e Metalurgia, de modo a atender os empregados de todos os turnos. Por três dias, todo o processo foi repassado e discutido em um workshop.

Ao todo foram levantados mais 100 melhorias, divididas em cinco eixos de atuação: IQ – Índice de Qualidade, IR – Índice de Rendimento, IC – Índice de Custo, IP – Índice de Performance e IF – Índice de Funcionamento. “Cada equipe ficou responsável por, pelo menos, uma ação de cada eixo. Como entre os participantes havia nove grupos de GMA e grupos de CCQ, deixamos que eles trabalhassem juntos e, de imediato, 45 ações foram iniciadas”, relata Adair.

A implantação das melhorias é acompanhada por follow-up mensal com a gerência, para repassar os ganhos obtidos e status dos processos. “Os resultados estão aparecendo e só nos motivam a continuar trabalhando. Nossa meta é até o final do ano chegar ao melhor índice já apurado e depois buscar a meta global de longo prazo da Empresa que é atingir, em dezembro de 2012, 83,66% de eficiência nos laminadores”, afirma Clênio Santana.

Os resultados positivos viraram referência para os demais equipamentos da área de Laminação a Frio de Inox, que deve ampliar o trabalho realizado e planeja ainda para este ano um workshop semelhante no Recozimento de Bobinas.

Compartilhar: