fbpx

Novidades da Aperam

Inox na siderurgia: menos paradas para manutenção e mais competitividade

Na usina da Arcelormittal, em João Monlevade (MG), o ano de 2019 começou com a perspectiva de redução das paradas para manutenção e aumento da competitividade. O responsável pelo feito? O aço inoxidável da Aperam, que acaba de ser aplicado de modo pioneiro na empresa, para a reforma das caçambas teleféricas de transporte de coque.

Quem compartilha a novidade é o engenheiro de aplicação da Aperam, Tiago Lima, integrante da equipe que identificou a oportunidade de adicionar o inox às peças, de modo a aumentar a sua durabilidade. “Em uma visita à usina na Arcelormittal, no primeiro semestre de 2018, as caçambas transportadoras de coque nos chamaram a atenção pelas oportunidades de melhorias que acreditamos que o inox poderia assegurar ao equipamento”.

Tiago explica: pelo fato de ser úmido e conter enxofre em sua composição, o coque corrói o aço carbono (escolha tradicional para a fabricação das caçambas), demandando um grande número de paradas para trocas e manutenções. “Com a aplicação do aço inoxidável, esse problema pode ser minimizado”, garante.

Foco na solução

Com a oportunidade identificada, os times de Engenharia de Aplicação e Pesquisas da Aperam se juntaram aos profissionais da Engenharia de Manutenção da Arcelormittal, para colocar em prática o projeto.

Juntos, definiram que apenas a estrutura da caixa da caçamba que transporta o coque seria fabricada com os aços inoxidáveis 304 e 410 da Aperam (saiba mais sobre a escolha clicando aqui), de modo a reduzir os custos do investimento, sem prejudicar os ganhos almejados.

Para atuar na reforma, a Açotubo – Distribuidora Integrada da Aperam (DIA) –ingressou no projeto, assegurando a agilidade para a construção dos primeiros protótipos. Por contar com uma caldeiraria própria em sua sede, na cidade de Guarulhos (SP), todas as etapas de adaptação das caçambas puderam ser feitas no local – desde cortes e dobras, até os processos de soldagem.

Em campo desde novembro de 2018, duas caçambas fabricadas em aço inoxidável serão avaliadas a cada seis meses, de modo que se possa comparar as perdas sofridas pelo novo material com as do aço carbono.

A expectativa da Aperam é de que os testes práticos comprovem o que foi previsto pelos estudos em seu Centro de Pesquisas: uma vida útil das caçambas em aço inox três vezes superior quando comparada às de aço carbono.

E os ganhos não devem parar por aí: na avaliação das caçambas em aço carbono, notou-se que partículas de coque iam se acumulando nas fendas dos equipamentos na medida em que eram utilizados, fazendo com que as caçambas carregassem um ‘peso morto’, em razão da corrosão e do desgaste sofridos em suas laterais e fundos, que facilitam a aderência às paredes. “Com o inox, o problema desaparece e, em razão das propriedades mecânicas do material, a espessura das peças pôde ser reduzida em até 30%, deixando-as mais leves”, adianta Ricardo José, pesquisador da Aperam.

Expansão

A Arcelormittal já sinalizou o desejo de substituir a chaparia de outras caçambas durante as paradas para avaliação, mostrando confiança na solução da Aperam antes mesmo da comprovação dos resultados. O projeto também foi compartilhado com a Arcelormittal Tubarão (ES), onde a proximidade com o litoral intensifica a corrosão no aço carbono, sendo um motivo a mais para que o cliente aproveite as vantagens das resistências à abrasão e à corrosão do aço inoxidável.

A aplicação e suas vantagens

– Estimativa de vida útil três vezes maior que a dos modelos em aço carbono;

– Equipamentos mais leves, com até 30% de redução de espessura, em razão das propriedades mecânicas elevadas do aço inoxidável;

– Eliminação da necessidade de transportar o ‘volume morto’, que resulta no aumento de peso das caçambas de transporte de coque;

– Menos paradas para manutenção, com ganhos de produtividade e competitividade.

Compartilhar:
Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on linkedin
Menu