Todos à bordo!

22/11/2016

A bordo do veleiro Kat, a Família Schurmann, desde 2014 percorre o globo na Expedição Oriente. O objetivo é refazer a rota dos chineses que, supostamente, foram os primeiros a navegar ao redor da Terra, em 1421, um século antes dos europeus. O desejo da família, já em sua terceira volta ao mundo, é despertar interesse nessa teoria ou, quem sabe, comprová-la. Ao retornarem ao Brasil, em dezembro de 2016, os Schurmann terão percorrido mais de 30 mil milhas náuticas e passado por cinco continentes e dezenas de países!

 aço inox familia-schurmannUm dos grandes destaques dessa viagem ao redor do globo, porém, é o próprio veleiro da família. Isso porque ele foi projetado especialmente para a expedição, feito com tecnologia de ponta e com ênfase na sustentabilidade.

Uma fortaleza em aço inox

O barco, chamado de Kat em homenagem à filha caçula dos Schurmann, tem aproximadamente 24 metros de altura, mais de 6 metros de largura e conta com sete cabines. O veleiro tem quase 19 toneladas de aço inoxidável, sendo que seu peso total chega a 67 toneladas! O inox foi utilizado no deque, postes de proteção, na base dos mastros, cuba dos banheiros, mobília, piso e muito mais.

embarcao-kat-aperamA escolha do inox em quase todo o barco não foi aleatória. Era importante encontrar um material que pudesse ser moldado para diferentes funções, formatos, e que ainda tivesse apelo estético, tivesse uma aparência moderna. O deck dos veleiros utilizados pela família nas viagens anteriores, por não contar com o inox, enferrujava e necessitava de raspagem e pinturas frequentes, o que já não acontece. O aço inoxidável é durável e resiste à corrosão, o que é importantíssimo para embarcações, por causa do contato constante com a água do mar.
A quilha, peça que fica na parte inferior da embarcação, é retrátil, ou seja, permite que o barco adentre águas rasas – fator importante para o objetivo da expedição. A sala de máquinas é compacta para que o veleiro tenha espaço para outras instalações.

Compromisso com a sustentabilidade

Como a sustentabilidade foi um ponto importante no projeto do barco, ele também possui sistema elétrico digital, reaproveitamento de lixo orgânico e tratamento de esgoto. Utiliza da energia solar e dos ventos, e até bicicletas ergométricas ligadas a geradores – após o exercício físico, parte da energia que o ciclista gerou é armazenada. 40% de toda energia consumida pelos tripulantes é limpa.
Com um tratamento químico, os dejetos dos tripulantes são usados para fazer uma horta dentro do veleiro, pois os banheiros foram feitos para não poluírem o mar. Certas partes, como as forrações do motor, foram feitas de material reciclado, e as luzes na embarcação são de baixo consumo (LED). Algumas ações, como o tratamento e reciclagem de resíduos, minimizam o impacto dessa expedição no meio ambiente.

 

O Kat é o primeiro veleiro feito de inox no Brasil. Toda essa jornada envolveu tecnologia e sustentabilidade de um modo inovador. A Aparam participou intensamente desse processo e possibilitou que o veleiro da família Shurmann fosse ecológico, sustentável e muito resistente.
A família chegará ao Brasil no dia 12 de dezembro! Fique de olho em nosso blog e não perca a cobertura completa desse grande evento.

Compartilhar: