fbpx

Blog

Canudos sustentáveis: tudo o que você precisa saber para entrar na onda ecologicamente correta

Sol, praia, piscina, água de coco, chapéu, chinelo, roupa de banho… É extensa a lista de itens que remetem aos dias de calor intenso que, em muitas regiões do Brasil, não dão trégua durante todo o ano. As altas temperaturas elevam também a ingestão de líquidos e, por consequência, o consumo de um utensílio polêmico: os canudos plásticos.

Nos últimos anos, tornou-se  difícil ignorar as consequências negativas do uso desses coloridos vilões do meio ambiente, os mal-afamados canudos plásticos. E não é para menos: utilizado e descartado em um período médio de 10 minutos, ele demora até 500 anos para se decompor no ambiente (acredite!), aumentando a poluição e causando consequências graves ao planeta.

Segundo o Fórum Econômico Mundial, há 150 milhões de toneladas de materiais plásticos nos oceanos. E se a média de consumo do material for mantida, os cientistas preveem que, até 2050, o oceano terá mais plástico do que peixes.

Reviravolta

A boa notícia? O conhecimento dos impactos negativos da utilização do plástico abre espaço para o surgimento e a utilização de alternativas renováveis e biodegradáveis. Afinal de contas, quem não quer dar sua contribuição positiva para a preservação do planeta?!

Na Europa, em outubro de 2018, o Parlamento Europeu aprovou por unanimidade uma proposta que proíbe a venda de produtos descartáveis de plástico – o que abrange pratos, talheres, mexedores e cotonetes, entre outros. A previsão é que, se forem aprovadas pelo Conselho da União Europeia, as regras entrem em vigor em no máximo dois anos (2021).

No Brasil, o Rio de Janeiro foi pioneiro nesta frente, com a sanção da “Lei do Canudinho” pelo prefeito Marcelo Crivella, em julho do ano passado. A medida determina que “restaurantes, lanchonetes, bares e similares, barracas de praia e vendedores ambulantes do município utilizem e forneçam a seus clientes apenas canudos de papel biodegradável ou reciclável, individualmente e hermeticamente embalados com material semelhante”.

Além destes dois tipos listados pela legislação, diversas outras opções de canudos já estão disponíveis no mercado, e não será surpresa se surgir a dúvida no momento de definir o seu preferido e que lhe proporcionará o melhor custo-benefício. Para ajudá-lo a equacionar a questão, reunimos prós e contras das diferentes opções que circulam pelo Brasil. Confira o nosso ranking e escolha agora mesmo aquele que deixará sua vida mais sustentável:

5º Canudo de vidro

Transparente e, justamente por isso, fácil de limpar. O canudo de vidro é reciclável, portátil, bonito e durável – a menos, é claro, que você o quebre por acidente. Além de frágil, se o descarte do material não for feito corretamente, sua decomposição pode levar milhares de anos.

4º Canudo de macarrão

O canudo de macarrão é a prova de uma criatividade elevada, não é mesmo? O macarrão bucatini (também conhecido como ziti) tem um furo largo o suficiente para permitir passagem de líquidos. Além de não conter substâncias tóxicas, a decomposição também é rápida. O problema do canudinho de macarrão, no entanto, é o mesmo do canudo de papel: dez minutos é tempo suficiente para o material começar a derreter e comprometer o sabor da bebida.

3º Canudo de bambu

Leve e bonito, o canudo de bambu é uma opção elegante e útil para quem deseja largar de vez o canudo de plástico. Natural e reutilizável, ele está presente no mercado nas mais diversas opções. Mas atenção: o bambu possui grande capacidade de absorver umidade (característica nada positiva para um canudo) e a sua durabilidade não é vantajosa – três anos apenas.

2º Canudo de papel biodegradável

É uma boa pedida para quem quer uma alternativa ao plástico: biodegradável, com decomposição rápida, ele não prejudica a natureza. Encontrado facilmente em lojas físicas (como as de artigos para festas) e na internet, pode ser muito útil para o comércio. Como nem tudo são flores, o canudo de papel pode começar a se desfazer se ficar por um tempo considerável (mais de 20 minutos) embebido em líquido e, então, perde a capacidade de sucção e, por consequência, a sua utilidade.

1º Canudo de aço inoxidável

Antes de entender as vantagens do canudo de aço inoxidável, tenha em mente que o inox é um material 100% reciclável. Supondo que você cuidará bem dele, podemos seguramente afirmar que a sua vida útil é praticamente eterna. Para as empresárias Jessica Pertile e Patricya Soares Bezerra, proprietárias da marca de produtos sustentáveis BeeGreen, esta foi a principal característica que levou à escolha do aço inoxidável para a produção dos canudos que comercializam na loja. “Estudamos os diferentes materiais de canudos existentes no mercado internacional e chegamos ao inox pelo simples fato de que, por ser um produto atóxico e hiper durável, as pessoas precisam adquirir somente um e podem utilizá-lo pela vida inteira. Isso está extremamente alinhado ao conceito de consumo consciente, com uma menor geração de lixo, que gostaríamos de estimular com nossos produtos”, destacam.

A composição do inox ainda inibe o acúmulo e a soltura de resíduos, o que torna muito mais fácil a sua higienização (não por acaso, o inox é considerado o mais higiênico dos materiais, como já contamos aqui). Para limpar seu canudo de aço inoxidável, basta utilizar as escovinhas próprias para lavar o material, que já vem em alguns kits vendidos pelo Brasil afora, e ele está pronto para ser usado novamente!

Tudo isso sem falar que, por não oxidar, o canudo de aço inox, além de ser muito resistente, também não prejudica o sabor das bebidas.

Pronto! Agora que você já conhece as diferentes opções de canudos sustentáveis disponíveis no mercado, escolha o seu preferido e que reúne o maior número de vantagens, e adote-o agora mesmo em sua rotina – os peixes, os oceanos e o planeta agradecem!

Compartilhar:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Menu

Clique no botão de edição para alterar esse texto. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Ut elit tellus, luctus nec ullamcorper mattis, pulvinar dapibus leo.