Aço verde de A a Z – Entenda o que é e quais seus benefícios

14/09/2017

Você sabia que há um tipo de aço 100% sustentável, diferenciado e produzido com exclusividade no Brasil pela siderúrgica Aperam?

O chamado aço verde é produzido através de uma técnica de produção totalmente sustentável, que envolve o uso de energia limpa e renovável. Tendo como matéria-prima apenas carvão 100% vegetal originário das florestas de  eucalipto, trata-se de um projeto pioneiro e revolucionário.

Entenda o que é o aço verde e seus benefícios tanto para a economia, quanto para o meio ambiente e o viés da sustentabilidade.

Tudo começa nas florestas

Para chegar até o aço verde, um longo e minucioso caminho é percorrido, sempre levando em conta a importância de se investir numa produção que seja ecologicamente correta, amparada na justiça social e economicamente viável.

O ponto de partida são as florestas 100% renováveis de eucalipto da Aperam BioEnergia, no Vale do Jequitinhonha, localizado no estado brasileiro de Minas Gerais.

Para certificar-se da qualidade e pureza deste carvão vegetal que será utilizado na produção do aço verde, a Aperam BioEnergia desenvolve um sistema com etapas como o melhoramento genético, plantio e colheita do eucalipto, a produção do carvão vegetal, transporte e toda a logística para levá-lo até os alto fornos. A Aperam BioEnergia é uma empresa independente do Grupo Aperam que fornece o carvão vegetal com exclusividade para a Aperam South America, produtora integrada de Aços Planos Inoxidáveis, Elétricos e Especiais ao Carbono que conta com mais de 2 mil empregados e capacidade instalada de 900 mil toneladas de aço líquido.

[Saiba mais] Nascido do carvão vegetal de BioEnergia: conheça o aço verde da Aperam

O eucalipto é originário da Oceania, tendo sido introduzido no Brasil em 1909.  Suas principais aplicações no mercado são na manufatura de móveis, painéis, além de ser muito utilizado na construção civil, indústria de papel e celulose, e também na produção do carvão vegetal.

Dados apontam que a receita oriunda do eucalipto representa 5,5 % do PIB industrial nacional, gerando cerca de 4,2 milhões de postos de trabalho, diretos e indiretos, de acordo com dados de 2015 da Indústria Brasileira de Árvores (IBÁ).

Melhoramento genético do eucalipto

A Aperam BioEnergia adota o sistema de melhoramento genético do eucalipto, sendo referência mundial neste tipo de trabalho. Em linhas gerais, isso significa que há uma combinação de genes da espécie, gerando um eucalipto que seja mais resistente a predadores, bem como à restrição hídrica, por exemplo. É importante salientar que o processo de melhoria genética consiste na combinação entre os genes e não numa alteração genética.

Feito isso, o clone do eucalipto é analisado em plantios de experimento, onde são avaliados fatores diversos, como a avaliação de doenças, qualidade do material, eficiência nutricional, etc.

Somente após esta criteriosa seleção, o clone de eucalipto aprovado neste processo passa a ser gabaritado para o plantio e cultivo. Todo este cuidado visa exatamente à produção do melhor carvão vegetal, que posteriormente será usado na produção do aço verde.

Todo o processo deste melhoramento genético demanda um longo período. Para se ter uma ideia, cada clone pode levar de 12 a 15 anos para ser desenvolvido.

Controle biológico

O controle biológico da Aperam é certamente um dos mais avançados do setor. Graças ao centro de pesquisas da empresa, é possível realizar o controle biológico sem afetar o meio ambiente e utilizar agrotóxicos.

Tal sistema consiste na criação em laboratório de predadores naturais contra as pragas que atacam o eucalipto, garantindo, assim, que a matéria-prima do carvão vegetal/aço verde não seja danificada, atacada ou sofra algum tipo de contaminação via agrotóxicos.

Para a criação do predador responsável pelo controle biológico, espalham-se armadilhas nas florestas (espécie de adesivos amarelos) que capturam os insetos e pragas nocivas ao eucalipto. No laboratório, é feito um cálculo com as pragas detectadas, para que se tenha ideia do nível de infestação em determinada área.

De posse destes dados, sabe-se qual a quantidade exata de predadores que serão inseridos neste ambiente para combater as pragas locais, garantindo, assim, o controle biológico.

É relevante deixar claro que, pelo fato destes predadores somente se alimentarem destas pragas, não há riscos das mesmas evoluírem para novas pragas.

O plantio e colheita: o ciclo do eucalipto

O cuidado com a floresta é um ponto fundamental para todo o processo que envolve a produção do aço verde.

Fora o tempo de pesquisa de melhoria genética, passando pelo processo do estudo e análise do clone no viveiro, até a plantação das mudinhas, o ciclo para a colheita do eucalipto é de 7 anos.

Ciclo da colheita

Quando o eucalipto está pronto para o corte, as árvores são derrubadas e, é feito o traçamento da madeira, no tamanho padrão de 3 metros, através de máquinas específicas de corte. Este processo facilita o empilhamento da madeira dentro do forno, para a obtenção do carvão vegetal. Para tanto, antes se ser direcionada até a unidade de produção de carvão, a madeira fica, em média, 120 dias no campo, com o intuito de reduzir sua umidade. Com a madeira seca, otimiza-se o processo no forno.

[Saiba mais] Carvão vegetal e seus benefícios na produção do aço inox

A produção do carvão vegetal da Aperam

Após todos estes processos citados acima será iniciada a produção propriamente dita do carvão vegetal.

Com 6 unidades produtoras de carvão, espalhadas em 126 mil hectares na área rural da floresta, a Aperam produz cerca de 430 mil toneladas de carvão ao ano. Isto significa que a Aperam BioEnergia entrega cerca de 50 a 60 carretas/dia de carvão aos Altos Fornos da Aperam South America.

O processo da produção, do momento em que a madeira é inserida no forno, até que ela se torne carvão vegetal, demanda aproximadamente de 14 a 15 dias.

Um diferencial neste processo é o uso de uma tecnologia patenteada pela Aperam BioEnergia que não emite fumaça e gases poluentes durante a produção do carvão.

Tal tecnologia permite a queima dos gases nocivos ao ambiente em uma câmara aquecida, onde se libera na chaminé somente CO² e vapor d’água. As florestas já realizam o trabalho de captura do CO², portanto, não há poluição do meio ambiente ou problemas com a questão de gases nocivos, por exemplo.

É importante salientar que em relação ao uso do eucalipto, sua extração para a produção do carvão é reposta em 100%, protegendo a vegetação nativa.

Aço verde de A a Z - Entenda o que é e quais seus benefícios

Bobina de aço inox da Aperam

O aço verde

Tendo como base o carvão vegetal, o aço verde da Aperam é motivo de orgulho não somente para nosso país, mas também para todo o mundo.

Com a demanda elevada de energia necessária para a produção do aço por parte das empresas siderúrgicas, ao adotar o carvão vegetal, poupa-se o meio ambiente, pois minimiza-se a emissão de gases de efeito estufa, além de economicamente ser muito mais vantajoso.

O aço verde é, portanto, o produto final obtido desse grande processo de produção que se inicia no desenvolvimento das mudas, até a plantação, cultivo e colheita do eucalipto e a produção do carvão vegetal.

Adotando uma postura ecologicamente correta, socialmente justa e economicamente viável, a Aperam conquistou por exemplo, o certificado FSC®, além de muitos outros, em decorrência de seu compromisso com a sustentabilidade.

Influência do aço verde na economia brasileira

Uma das principais vantagens do aço verde com toda certeza é a conservação da biodiversidade nativa, bem como na mitigação das emissões de gases de efeito estufa (GEE), amplamente oposto ao que ocorre com o aço produzido com carvão mineral, considerado altamente poluente e um dos principais agentes desencadeadores do aquecimento global.

[Saiba mais] Entenda a influência do aço verde na economia brasileira

O impacto econômico deste processo sustentável de produção do aço verde na economia brasileira é altamente positivo, gerando empregos, renda e movimentando a economia, diminuindo custos com a produção do carvão mineral, por exemplo.

Só na  Aperam BioEnergia, dados divulgados em 2016 pelo Jornal “O Tempo” demonstram o seguintes números:

  • Produção de 2,2 milhões de m³ de madeira com produção de 9 milhões de mudas ao ano;
  • Plantio abrangendo 4.000 hectares ao ano;
  • Emprego para 1.200 empregados diretos;
  • Na Aperam South América, são 2.400 funcionários empregados.

O aço verde é o caminho para uma realidade cada dia mais renovável e sustentável, com impactos positivos para demandas presentes nas esferas sociais, econômicas e ambientais, com um produto do mais elevado nível de qualidade.

[Saiba mais] Um mundo 100% renovável: o aço verde seria um começo?

Tudo graças a fonte de energia renovável, obtida pelo carvão vegetal produzido pela Aperam BioEnergia, que abastece os Altos-Fornos da Usina da Aperam South America, localizada em Timóteo (MG).

 

E então, restou alguma dúvida sobre o processo de produção do aço verde e seus benefícios? Fale com a Aperam. Comente abaixo que teremos o maior prazer em conversar com você!

Compartilhar: